Quando pensamos em anúncios no Facebook, devemos considerar os números impressionantes que envolvem a rede social mais utilizada no mundo todo. Quase 60% da população da América Latina utiliza essa rede. São 2 bilhões de usuários ativos mensais e mais de 1 bilhão de usuários ativos por dia.

De acordo com o blog de Neil Patel, uma autoridade mundial no assunto, os anúncios no Facebook são mais valiosos do que você imagina. Em qualquer um dos estágios de seu funil de vendas as empresas de e-commerce devem cogitar essa opção, tanto que 93% dos anunciantes de mídia social usam o Facebook Ads — a outra plataforma mais próxima é o Instagram, com 24%.

Outro número importante é que 57% dos consumidores dizem que a mídia social influencia suas compras, liderada pelo Facebook em 44%. Por isso, neste artigo, listamos 5 tendências de anúncios nessa plataforma que você não pode deixar de usar em 2019. Confira!

1. Aplicar o marketing baseado em pessoas

O conteúdo gerado pelo usuário é um material criado por admiradores não remunerados de marcas que as empresas devem usar para anunciar seus produtos. Essa promoção pode acontecer por vídeos, fotos ou até mesmo memes. Fazer isso é uma estratégia extremamente útil, que envolve os clientes na tática de negócios e os leva a uma melhor experiência geral.

Dessa forma, as indicações boca a boca ainda desempenham um papel importante no mercado impulsionado pela tecnologia. Isso porque as pessoas têm outro tipo de resposta às estratégias tradicionais de marketing. Não é mais suficiente dizer a alguém que eles demandam um produto, todos estão em busca de uma história por trás do produto.

Assim como os YouTubers vêm desempenhando um importante papel no cenário do marketing de mídia social, os usuários também querem ver produtos sendo consumidos​​ em situações da vida real, por pessoas comuns. Por fim, o conteúdo gerado pelo cliente comum personaliza os produtos de uma maneira que as empresas simplesmente não conseguem.

2. Usar chatbots para agilizar o atendimento

Assim como os vídeos, os aplicativos de mensagens oferecem aos clientes um canal para alcançar as empresas e vice-versa. Todos nós sabemos como o Facebook Messenger é popular e como é fácil para as pessoas se conectarem sem sair de seu perfil. Atualmente, é muito comum que os clientes enviem um “oi”, para as empresas, com a mesma naturalidade que enviam para qualquer um de seus contatos.

Portanto, eles esperam receber respostas com a mesma naturalidade e simpatia com que seus contatos respondem. E, mais importante que isso: com a mesma rapidez.

Um caminho para fazer isso é por meio de um chatbot! Tratam-se de robôs programados para responder perguntas comuns de seus clientes — qual o horário de atendimento, o endereço, as opções de produtos ou serviços, etc. Apenas quando aparece uma pergunta que o chatbot não consegue responder sozinho, é necessário um atendente intervir. Muitas vezes, você pode ganhar o cliente sem nem se envolver nesse atendimento, apenas programando bem o robô e deixando-o trabalhar por você.

Programar um chatbot a esse ponto é um pouco mais trabalhoso, mas é bastante possível. Mas o próprio Facebook oferece, por exemplo, a possibilidade de programar uma resposta automática para avisar os momentos em que não há algum atendente disponível, apenas para não deixar seu cliente sem resposta. Detalhes como esse fazem a diferença!

3. Considerar os assuntos e temas mais comentados da rede

O conteúdo gerado pelo consumidor é uma ferramenta poderosa, pois oferece a outros clientes em potencial a prova social que desejam. Além disso, é bastante envolvente, pois os assuntos projetados pelo público-alvo talvez sejam realmente o que os outros gostariam de ver. Portanto, os temas mais comentados da rede são:

  • qualquer foto com hashtags (#);
  • feedback de produto;
  • experiência de compra;
  • consultas;
  • discussões, entre outros.

Sabemos que a rede social mais utilizada no mundo é uma plataforma muito popular que permite que as pessoas postem vídeos e fotos como conteúdo. Por sua vez, esses posts são um material rico para as marcas aproveitarem para fazer anúncios no Facebook.

4. Ter uma loja online incorporada à página

Se você tem uma base de fãs no Facebook, por que não aproveitar essa comunidade para vender lá mesmo, na própria rede social? A ferramenta permite isso, com a criação de uma loja virtual na própria página de fãs do Facebook.

Converter fãs em clientes não é algo fácil: você tem que fazer muito esforço para alguém se transformar de um leitor casual em um visitante frequente e, então, um cliente. Adicionar uma mídia para fazer isso diretamente na loja aumentaria as chances de que mais visitantes entrem no seu website sem tanto esforço.

Assim, eles têm a chance de comprar seus produtos ou serviços com facilidade. Tudo o que precisam fazer é clicar na guia “loja online” e, dessa forma, conseguem ver seus produtos em uma única página. Caso você já tenha um e-commerce um site próprio, não tem problema: é possível sincronizar as duas lojas.

Ter a loja online incorporada à página do Facebook facilita a exibição das alterações, como as cores personalizadas dos botões modificados, adição ou exclusão de produtos e muito mais. No momento em que você faz as alterações em seu website, ele atualiza automaticamente sua loja online do Facebook também. Portanto, você não precisa gerenciar os diferentes inventários em seu site e na loja do Facebook separadamente.

Outra grande vantagem é ter a oportunidade de rastrear seus clientes com análises inteligentes e, assim, compreender melhor o andamento das vendas também. Monitorar os visitantes e usuários — de onde vieram, de onde saíram, quantos vieram do Facebook e outros aspectos são facilmente analisados.

5. Criar uma identidade de campanhas que facilitem a pesquisa visual

Parece coisa de ficção científica, mas é uma tendência que está se tornando cada vez mais realidade: a pesquisa visual.

Mas como funciona a pesquisa visual? Quando o Google apresentou pela primeira vez seu Lens no ano passado, ele foi descrito como uma espécie de busca inversa. Em vez de digitar uma consulta de texto e obter resultados de imagem, você aponta a câmera do seu smartphone para um objeto a fim de encontrar informações com base em textos.

Dessa forma, a pesquisa visual reconheceria objetos dentro da imagem e, após isso, buscaria por conteúdos relacionados a esses objetos. Por exemplo, de acordo com a foto de uma cadeira, você poderia usar a pesquisa visual para comprar um modelo idêntico ou semelhante à da imagem.

Portanto, mesmo que essa tecnologia ainda não esteja amplamente difundida, você precisa estar preparado: invista em belas imagens de seus produtos, pois as pessoas gostam de ver fotos na internet. Com o advento da busca por imagens, essa característica só irá se fortalecer. Se você começar a investir em uma identidade visual sólida agora, chegará na frente quando esse tipo de pesquisa se popularizar.

Por fim, as tendências de campanhas de marketing de mídia social em 2018 servem para personalizar a experiência do cliente, colocando os usuários no comando. Assim, as marcas devem entender que agora desempenham o papel de navegadoras. Dessa forma, orientam as pessoas para os seus produtos e permitem que elas decidam o que é ou não adequado para elas.

Por meio das mídias sociais, as empresas têm a chance de se conectar com seus clientes de maneira rápida e pessoal para ajudar a gerar mais receita. Ao mesmo tempo, reconstroem a confiança e tornam-se figuras públicas mais transparentes.

Para tanto, reforçamos que contar com uma agência de publicidade ajuda as organizações a seguirem as tendências sem desperdiçar tempo e recursos com anúncios no Facebook e estratégias com pouco potencial de atingir os objetivos do negócio.

Se você gostou deste nosso artigo, não deixe de entender por que anunciar no Facebook!